Quadras de tênis
Futebol Suiço
Atualizado em 24/05/2024 09:26:44
(47) 3323.0230


História


Arnoldo Haertel, de saudosa memória, atendendo a uma vontade de seu pai, Sr. Luiz Haertel, ainda muito jovem, foi aprender a profissão de comerciante na casa comercial de Heinrich Lueders, na Itoupava Central.
Naquela época, lá pelos anos de 1927/1928 já existia na Itoupava Central um time de futebol, cujo campo era exatamente aquele que mais tarde sediou o "Frigor Futebol Clube" da CIA Jensem. Arnoldo Haertel, nas horas de folga, batia uma bola com os integrantes daquela equipe e, empolgado, trouxe o futebol para o bairro Itoupava Norte, depois de ter conseguido de seu pai - Luiz Haertel - a primeira bola. Arnoldo reuniu um grupo de rapazes descendentes das famílias Schoenau, Haertel e Staedele e os jovens Alberto Althoff, Fritz Reduhn, Ricardo Annuseck, Arthur Schley, Karl Kleinhempel, Leopold Hartmann, Hermann Mosele e outros cujos nomes não ficaram registrados.
Inicialmente reuniam-se para as “peladas” em terreno de propriedade do Sr. Richard Reif e do Sr. Horst Volkert e mais tarde, já em fins de 1928, com o consentimento da comunidade escolar da Itoupava Norte, passaram a jogar num terreno de propriedade dessa comunidade, onde hoje se encontra o Colégio Estadual "Professor João Widemann".
Em 09 de fevereiro de 1929, já então assegurado um lugar definitivo para a prática do futebol, foi oficialmente fundado o América Futebol Clube, tendo como seus fundadores exatamente aqueles anteriormente citados. A partir daí, até fins de 1940, o América Futebol Clube só realizava jogos amistosos. Foram inúmeras as vezes que, segundo depoimento dos senhores Max Haertel e Fritz Reduhhn, o time se deslocava em carroças e carros de mola para a Itoupava Central, sempre acompanhados por tocadores de Bandoneon, segundo os relatores: tudo era festa, perdendo ou ganhando. Mais tarde - 1941/42 - o América Futebol Clube já não era mais um simples timinho e disputava torneios e partidas contra clubes conhecidos, como o Amazonas Futebol Clube, o Aymoré Futebol Clube (da então Indústria Garcia), o Brasil Futebol Clube (mais tarde Palmeiras Futebol Clube), o Blumenauense Futebol Clube (mais tarde Grêmio Esportivo Olímpico), etc.
Foi no ano de 1943 que, por uma determinação governamental, os clubes que ostentavam nomes de cidades, estados ou países, se viram forçados a mudarem sua razão social. O América Futebol Clube passou a ser Guarani Futebol Clube e posteriormente, Guarani Esporte Clube, ainda em 1943, sob a presidência do Sr. Reinaldo Pfau - farmacêutico estabelecido no bairro de Itoupava Seca - e com a participação decisiva de Arnoldo Haertel e Guilherme Staedele, além de outros, como Helmuth Schoenau e Arthur Schley, chegou-se a um consenso com os sócios remanescentes da comunidade escolar da Itoupava Norte, para a cessão - por parte da comunidade escolar - de parte da área onde hoje está edificada a sede social do clube, para a construção do campo de futebol. Obs. não faziam parte as áreas do ginásio de esportes, do bosque e da cancha de bocha - áreas estas que foram adquiridas mais tarde.
Assim em 1943, a diretoria do clube contratou o Sr. Gustavo Kirsten, que com uma carroça de dois cavalos, muitas vezes com a ajuda de jogadores, diretores e simpatizantes do clube, empenhou-se neste trabalho tirando barro de um lado e fechando desnível do outro, até afinal, se chegar ao nivelamento ideal e todo gramado, para a prática do futebol.
A inauguração do novo campo aconteceu no ano de 1944, já todo cercado com tábuas de 2,50m de altura, com corrimão de madeira ao longo da área de jogo, uma meia água para o funcionamento do indispensável botequim e dois quartinhos para a troca de roupa dos jogadores. Do lado oposto, a singela casinha para o representante da Liga Blumenauense de Futebol. Ainda na década de 40, foi construída, na lateral esquerda do campo mais uma meia água de 9,00 X 4,00 m² para abrigar o zelador do campo. Registra-se que no ano de 1950 o Guarani Esporte Clube sagrou-se vice campeão de Futebol alusivo ao cinquentenário de fundação do Município de Blumenau, promovido pela Liga Blumenauense de Futebol.
No início da década de 50, quando era prefeito municipal de Blumenau o senhor Hercilio Deeke, de saudosa memória, e a diretoria do clube, em reunião com os sócios remanescentes da comunidade escolar da Itoupava Norte, conseguiram a doação do terreno, que já estava sendo ocupado pelo Guarani, enquanto o restante do terreno da comunidade escolar – uma área de 7.715,42 m², foi doado ao governo do estado, graças a intermediação do Prefeito Sr. Ercilio Deeke, para a construção de um grupo escolar estadual – hoje o Colégio Estadual Professor João Widemann. O lançamento da pedra fundamental da escola aconteceu no dia 25 de setembro de 1955, com a presença do então governador, Sr. Irineu Bornhausen, do prefeito em exercício Dr. Gerhardt Francisco Neufert, do vereador do bairro Sr. Edgar Paulo Müller e de outras autoridades estaduais e municipais, além de grande número de pessoas do bairro. Estiveram também presentes os sócios remanescentes da comunidade escolar da Itoupava Norte.
Em relação à área de 16.007,58 m², que fora cedida por locação, contrato de 50 anos ao Guarani Esporte Clube pela comunidade escolar, em assembleia realizada no dia 8 de novembro de 1953, foi doada definitivamente, ao Guarani Esporte Clube pelos sócios remanescentes da comunidade escolar, em assembléia realizada no dia 19 de julho de 1955, presidida pelo Sr. Helmuth Schoenau e secretariada pelo Sr. Edgar Paulo Müller.
A ata da referida assembleia foi publicada no "Informativo" do clube em agosto de 1979. Feitas estas duas doações, a comunidade escolar da Itoupava Norte, que tinha cumprido a sua finalidade, foi extinta. O grupo escolar estadual foi festivamente inaugurado no dia 1º de dezembro de 1957. Os sócios remanescentes da comunidade escolar, que tanto beneficiaram o bairro, trazendo uma nova escola, e que se mostraram preocupados também com o esporte e lazer doando a referida área ao Guarani Esporte Clube, foram os seguintes senhores: Helmuth Schoenau, Fritz Kuehnrich, Rodolfo Liesenberg, Gustavo Luders, Max Scheidemantel, Leopoldo Kirsten, Erich Haertel, Luiz Haertel, Bruno Hoeltgebaum, Karl Mogk, Gentil Guindani, Erdinand Klitzke, Walter Mogk.
No ano de 1952, tendo como presidente do Guarani Esporte Clube o Sr. Edgar Knaesel, ocorreu a demolição da casa em que funcionava a escola isolada, sob a direção do casal José Moskorz, e o clube, acatando um acordo previamente feito, fez construir um barraco de 50m2 ao longo da cerca de tabuas, coberto por uma lona preta, barracão este que além de abrigar provisoriamente os alunos da escola demolida, também era utilizado para reuniões e pequenas festividades do Guarani Esporte Clube. Foi a primeira sede social do clube.
Ainda na década de 1950, durante a primeira gestão do Sr. Rolf Kuehnrich (1958/1960), aconteceu a construção da segunda sede social do clube, e logo em seguida, a construção de uma cancha de bolão com duas pistas. Essa sede, de um só piso, tinha uma área com cerca de 320 m² - comportava uma sala de reuniões, um bar, uma cozinha, dois quartos para o ecônomo e uma área para restaurante, onde também se realizavam as festividades do clube, tais como casamentos, bailes e outros eventos. Na construção dessa sede, o clube contou com a participação maciça da Tecelagem Kuehnrich e também de Arthur Hutzelmann, que forneceu, graciosamente, parte das portas e janelas. Já na segunda gestão do Sr. Rolf Kuehnrich (1962/64), houve a implantação do alambrado ao redor da área de jogo, a instalação dos refletores para jogos noturnos e também a inauguração da arquibancada. Essa inauguração contou com a presença de autoridades municipais e do Sr. Osni Mello, então presidente da federação catarinense de futebol, além de outras autoridades esportivas.
No ano de 1963, o Guarani Esporte Clube tornou-se Campeão da Liga Blumenauense de Futebol e conquistava, assim, o direito de participar do Campeonato Catarinense de Futebol a partir do ano de 1964. Foi o início de uma temporada de jogos na Itoupava Norte, mas também de sérias dificuldades, principalmente de ordem financeira.
No mês de maio de 1966, o presidente do clube o Sr. Edgar Paulo Müller e o Sr. Rolf Kuehnrich, vice-presidente do setor de patrimônio, elaboraram um projeto que foi aprovado em assembleia geral extraordinária, transformando a categoria de sócios contribuintes em sócios-proprietários. O objetivo da venda de títulos patrimoniais era iniciar a execução de novas obras: a construção de uma nova sede social, piscina semiolímpica e infantil, sauna, quadra de futebol de salão e duas quadras de tênis. A venda dos títulos patrimoniais ficou a cargo da empresa "Codelan", que era administrada pelo Sr. Flávio de Almeida Coelho. O preço do título patrimonial era inicialmente de Cr$ 150,00, e do patrimonial remido de Cr$ 500,00, parcelado em até 20 vezes.
Foi assim que, com o resultado da venda de títulos patrimoniais, além de outros auxílios financeiros advindos de sócios, o Guarani Esporte Clube pode inaugurar, no dia 3 de dezembro de 1967, as piscinas semiolímpicas e infantil. Registre-se, por uma questão de justiça e reconhecimento, que a supervisão da construção dessas piscinas esteve inteiramente sob a responsabilidade do Sr. Rolf Kuehnrich, e que a execução dessa obra só foi possível tendo em vista que, por decisão da diretoria, em dezembro de 1966, houve a erradicação do futebol profissional no Guarani Esporte Clube. Era do propósito da diretoria de então, fazer uma sociedade voltada para os seus sócios e respectivas famílias, oferecendo-lhes mais condições de lazer e a pratica de outras modalidades de esportes que não os profissionais. No segundo mandato da diretoria presidida pelo Sr. Edgar Paulo Müller 1968-1970, foram incorporados ao patrimônio do clube vários terrenos adjacentes num total de 3.400 m², além da construção de quadra de futebol de salão a céu aberto e de um muro na lateral da então Rua 11 de Junho (parte dela) de 140 metros de comprimento por 2,20 metros de altura. Mas o fato mais importante na Gestão dessa diretoria (1968) foi a assinatura de um contrato com a Construtora Schultz, de propriedade do Sr. Gerhard Schultz, para a construção da atual sede social obedecendo o projeto previamente elaborado pelo arquiteto Sr. Heini Herwig. Difícil de acreditar nos dias de hoje, o contrato estabelecia uma remuneração mensal para a firma Schultz de NCr$ 5.000,00 (cinco mil cruzeiros novos) incluindo mão de obra e os materiais de construção, é claro que logo após os primeiros meses de construção referido valor foi reajustado para NCr$ 7.500,00 depois para NCr$ 10.000,00 e assim por diante.
No ano de 1972, por sugestão do Sr. Rufino Schmitz (ecônomo), a diretoria Social do Guarani Esporte Clube, nas pessoas dos Srs. Hasso Rolf Müller e Jorge Michel, realizaram com muito sucesso, a 1º Oktoberfest no Clube, que também pode e deve ser considerada a 1º Oktoberfest no Brasil. Além de se dar continuidade na construção da sede social, a diretoria deste período iniciou a construção de duas quadras de tênis, as quais foram inauguradas no dia 22 de dezembro de 1973. Com relação a essas quadras de tênis é justo que se registre o trabalho desenvolvido por associados para a sua concretização, especialmente dos sócios Almiro Schoening e Ruy Jorge Hass, que não mediram esforços no sentido de reunir fundos para a iluminação destas mesmas quadras. No ano de 1974, quando terminou o 4º mandato da diretoria presidida pelo Sr. Edgar Paulo Müller, a nova sede estava praticamente concluída. Faltava o forro na parte superior do salão, a iluminação e as cortinas, é justo citarmos na administração desta obra, os nomes do Sr. Victor Voelz, Vice-Presidente Patrimônio, responsável pelo setor de construção, e do Sr. Rufino Schmitz, Vice-Presidente Financeiro, responsável pela tesouraria geral.

A SEGUIR A PRESIDÊNCIA DO CLUBE COUBE AO SR. OSMAR SCHWANKE

O qual, incansavelmente, nos seus dois mandatos (1974/1976 - 1976/1978) concluiu o que faltava na sede social, inaugurando a mesma em 1975 com um baile abrilhantado pela Orquestra Os Magnatas, do associado Valdir Annuseck. Continuando na parte social, fez realizar todos os anos nos primeiros dias de Outubro a Oktoberfest, tornando-se a partir de então, uma festa tradicional no Guarani.
Como o futebol profissional havia sido extinto no clube, Sr. Osmar Schwanke, juntamente com a Diretoria de Esportes - Sr. Carlos Lubow, Sr. Hasso Rolf Müller, decidiram incentivar os sócios do Guarani e filhos a continuarem a praticar o Futebol de Salão no clube, vindo a formar-se uma equipe competitiva nas disputas que realizavam com outras equipes em Blumenau e com estes resultados positivos, entusiasmados, filiou-se a Liga Blumenauense de Futebol de Salão, conquistando 2 títulos de Campeã da liga e o direito ao acesso a Federação Catarinense, para participar dos campeonatos Estaduais. No ano de 1976 o Guarani conquistou o Titulo de Campeão Catarinense, 3º colocado em 1977, e novamente Campeão Catarinense em 1978. Sr. Osmar Schwanke além de realizar outras obras, destacou-se em especial, na revitalização do Guarani Esporte Clube.

NA SEQUENCIA, EM 1978, ASSUMIU A PRESIDENCIA O SR. WILSOM DOMBECK.
O QUAL, DEPOIS CUMPRIR DOIS MANDATOS, PASSOU A PRESIDÊNCIA EM 1982, AO Sr. HASSO ROLF MÜLLER.


Foram 4 os mandatos do Sr. Hasso Rolf Müller - 1982/90.
O mesmo cercou-se de uma excelente equipe, disposta a batalhar pelo engrandecimento do clube. Inicialmente houve a recuperação dos estragos causados pelas enchentes de 1983 e 1984 que foram, sem dúvidas, os serviços e dispêndios prioritários. Registra-se que estas duas enchentes, atingiram o nível de até 1,69 metros no restaurante da sede social e na secretaria do Clube, destruindo praticamente todo arquivo. Em seguida, realizou a construção da sauna e o bar das piscinas, a instalação de uma sala de estar na sede social e a perfuração de um poço artesiano com capacidade de 17.000 litros de água por hora.
Esta diretoria, também solicitou a aprovação do conselho deliberativo, para definir o plano diretor do clube, no qual entre outras aprovações, culminou com a intenção de compra de vários terrenos adjacentes a rua 11 de junho, ao lado do Guarani Esporte Clube, bem como, a condição de solicitar e receber a autorização da Prefeitura Municipal de Blumenau, para a mudança do traçado da rua 11 de junho. Para os eventos sociais, registra-se com destaque, os Bailes de Inverno, as Oktoberfest e a dedicação dos Diretores Sociais Sr. Célio Persuhn, Vice Presidente, Sr.Gilmar Baer Diretor. Registra-se com destaque ainda, a bela homenagem oferecida aos Fundadores do Clube, seus Ex-Presidentes e Ex-atletas, (todos convidados com suas esposas), por ocasião da passagem do 60º aniversário de fundação do Clube.

EM ABRIL DE 1990, ASSUMIU A PRESIDÊNCIA O Sr. RUFINO SCHMITZ

Sr. Rufino que vinha de uma convivência relativamente longa dentro do Guarani, desde 1962-1964 e como proprietário de uma Kombi nova, fazia amigavelmente o transporte dos Atletas do Punhobol, para competições no Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Quando então, a diretoria de Futebol Profissional do Guarani Esporte Clube solicitou ao Sr. Rufino, para transportar os jogadores profissionais do Clube, até aos estádios de futebol dos adversários, onde ficou acordado que todas as despesas dessas viagens seriam reembolsadas, contra a apresentação das notas fiscais, como para: Criciúma (03), Tubarão (02), Imbituba (01), Itajaí (01), Brusque (01), São Francisco do Sul (01), Joinville (02), Jaraguá do Sul (01), e Lages (01). A participação do Guarani Esporte Clube no Campeonato Catarinense de Futebol Profissional, terminou no ano de 1966. As despesas com o transporte destas viagens, mais a alimentação dos mesmos, que haviam sido 100% custeadas pelo Sr. Rufino (somaram o valor de Cr$ 1.468,00) e foram quitadas através da substituição de seu Titulo Patrimonial, por um Titulo Patrimonial Remido.
Em 1964 o Sr. Rufino comprou do Sr. Paulo Kienen que era o ecônomo á época, os estoques de bebidas, juntamente com as garrafas vazias, copos, utensílios da cozinha, e a geladeira de 6 portas do Bar, assinando contrato de locação com o Guarani Esporte Clube, assumindo o Bar e Restaurante como Ecônomo, por um período de 10 anos. Neste interim, como tinha pouco serviço durante o dia no Bar, o mesmo propôs ao Sr. Rolf Kuehnrich, Vice Presidente Patrimônio, roçar gratuitamente juntamente com Sr. André Ramos, zelador do campo, o capim branco que estava na altura de 2m no terreno dos fundos do campo de futebol, a onde estava edificada a casinha do zelador, para em seguida plantar árvores, e formar no futuro um bosque. As árvores ali existentes, que formam hoje o nosso bosque, no ano de 2020, já completaram 55 anos.
Também Sr. Rufino Schmitz, vendo a precária administração da secretaria do Clube, propôs a Diretoria, assumir gratuitamente a gerência da mesma, bem como a cobrança das parcelas dos títulos Patrimoniais vendidos pela Codelan e a cobrança das mensalidades (Taxa de manutenção). Lembra o Sr. Rufino que em aproximadamente 90 dias organizou a Secretaria e a cobrança, com a ajuda do Associado Sr. Tiurra, visitou os 402 sócios, que tinham adquirido o titulo Patrimonial, e que se encontravam inadimplentes com varias parcelas e também com as suas mensalidades, vindo a cobrar de 401 sócios todos os débitos atrasados.
Nesta data, meados de 1966, a obra da Piscina estava parada por falta de verba e numa reunião da Diretoria, Sr. Rufino foi convidado para a 1º prestação de contas dos seus serviços na administração da secretaria e das cobranças. Diga-se de passagem, foi um susto para todos os diretores remanescentes, ao verem Sr. Rufino trazer 5 pacotes de dinheiro embrulhados em folhas de jornal, que ele vinha guardando debaixo dos colchões e os entregou ao Sr. Edgar Paulo Müller, Presidente, que em seguida conferiu o valor recebido e definiu junto com os demais diretores presentes, a autorização para o Vice Presidente de Patrimônio Sr. Rolf Kuehnrich, dar continuidade imediata na construção da obra da Piscina, sem mais paralizações.
Como mencionado anteriormente, a extinção do Futebol Profissional deixou uma série de dificuldades financeiras, como as rescisões de contrato com os jogadores profissionais, as dividas com o então INPS, empréstimos bancários com aval dos diretores, etc. aja visto, que parte da diretoria abandonou o cargo, em especial a financeira, quando então Sr. Rufino Schmitz foi convidado a assumir o cargo de Diretor Financeiro, cargo este, que exerceu de 1966 a 1974.
Em tempo: louva-se aqui, o esforço particular do Sr. Edgar Paulo Müller Presidente, em conseguir doações para sanar todos os principais problemas financeiros do Clube, oriundos da extinção do Futebol Profissional, até o fim de seu mandato, devido ao seu caráter e prestigio, junto a vários amigos de bem e alguns sócios.
O Sr. Rufino Schmitz ao assumir a Presidência, teve como objetivo principal, concluir as negociações para as compras dos terrenos adjacentes a Rua 11 de junho, estas compras já aprovadas na gestão anterior pelo Conselho Deliberativo, bem como a mudança do traçado da rua, com autorização da Prefeitura Municipal de Blumenau, após a permuta com as terras da Família Metzner e demais terrenos registrados como a seguir relacionados: a) Permuta de terrenos do Sr. Ingobert Metzner, de 578,00m² e 16,96 m² do Sr. Otto Metzner, total = 594,96m² - 341,00m² do Guarani saldo = 253,96m², estes, a ser incorporado com o novo traçado da Rua 11 de junho e com mais o compromisso da parte do Guarani, referente ao custo da construção do muro, do calçamento da rua e da calçada, defronte o terreno Permutado; b) terreno Zenon e Maria Stadzisz, 781,31m², negociado por 2 Títulos Remidos e mais Cr$ 1.000,00 em 3 pagamentos; c) terreno de Renato Ramthum, 792,00m² valor Cr$ 1.300,00 pago a vista; d) terreno de Alex Artur Germano Hass, 1.272,00² valor Cr$ 70.000,00 pago a vista; e) terreno de Edith Hass, 733,00 m², valor Cr$ 2.000,00 pago a vista; f) terreno de Edith Hass, 1.250,00m² valor Cr$ 1.700,00, pago a vista; g) terreno de Wilfrid Vahldieck, 2.085,86m², valor Cr$ 6,000,00 pago a vista; h) terreno de Getulio Jensen, 650,00m² valor Cr$ 2.000,00 pago a vista; i) terreno espólio de Orlando Schramm, 211,81m² valor Cr$ 1.000,00 pago a vista; j) terreno de Nelson Schlei, 3.015,40m² valor Cr$ 3.300,00 pago em 6 parcelas; k) terreno de Jorge Stadiez, 1.034,13m², valor Cr$ 500.00 pago a vista e L) terreno de Jorge Stadiez, 368,00m², valor Cr$ 605,00 pago a vista. Os terrenos adquiridos acima somam um total de 12.534,51m2, os custos destes terrenos somaram Cr$ 90.405,00 (noventa mil quatrocentos e cinco cruzeiros reais), na moeda vigente de agosto 1993 a junho de 1994.
Em seguida, efetuou-se a construção do muro de 248 metros lineares, com 2,80 metros de altura em média, ao longo de parte da Rua Boaventura Amorim e em toda a frente dos terrenos adquiridos na Rua 11 de Junho.
Em meados de 1990, a Construtora Stein Ltda elaborou o projeto para construção de um Ginásio de Esportes, sendo ela também a vencedora da concorrência para a Construção da obra, com prazo de entrega contratual para em até 12 meses. Sendo inaugurado festivamente em 29/03/1992, como: Ginásio De Esportes: EDGAR PAULO MÜLLER.
Ainda nos anos de 1992/1993 foram construídas mais 6 quadras de Tênis, totalizando agora 08 quadras no Clube, incluindo as duas já existentes, desde 1974.
Com o Ginásio de Esportes e as quadras de tênis inauguradas, e com o Projeto para a construção do Modulo Esportivo aprovado, a Diretoria executiva solicitou ao Conselho Deliberativo a convocação de uma Assembleia Geral Extraordinária, para aprovar um aumento do quadro Associativo, mediante venda de novos Títulos Patrimoniais, ficando estabelecido o valor do Titulo Patrimonial em Cr$ 300,00 Trezentos Cruzeiros Reais e o limite de até 1.200 Sócios; Ficando definitivamente proibida e cancelada, a venda de novos Títulos Patrimonial Remido, a partir da data desta Assembleia.
Após a aprovação na Assembleia, iniciou-se ainda em 1993 a construção do Módulo Esportivo, com espaço no térreo para duas Canchas de Bocha, ( Denominadas CARLOS BECKHAUSER), Bar e Salas para Eventos. O espaço térreo foi Inaugurado solenemente em 03/11/1994, sendo que no andar superior, o projeto inicial previa espaço para construção de Canchas de Bolão/Boliche, Bar, um Salão de Festas, e outros espaços opcionais a serem definidos no futuro.
A seguir iniciou-se a manutenção no Campo de Futebol, especialmente no alambrado, e a troca dos refletores para uma melhor iluminação. Também dando continuidade neste período, se fez a drenagem no campo de futebol e o plantio de nova grama. Este plantio, que por sugestão de entendidos, foi adubado com esterco de galinha, o que deixou toda vizinhança enfurecida por 6ª8 dias, devido o mau cheiro, que só aliviou, após uma boa trovoada com bastante chuva. A Reinauguração festiva e regada a Chopp, se deu em 09/08/1995.
Em todos os terrenos adquiridos adjacentes a Rua 11 de Junho, corre um riacho, e para melhor aproveitamento dos mesmos, este riacho foi canalizado em toda sua extensão com tubos de 2,00m de diâmetro, na profundidade entre 2 a 3 metros, que desembocam no Rio Itajaí Açu. Após a canalização, contratou-se a Arquiteta Paisagista Sra. Ana Holzer, para projetar um Parque, em homenagem ao Fundador do Guarani Esporte Clube Sr. ARNOLDO HAERTEL com aproximadamente 8.000m² de área verde e paisagismo, contendo espaço infantil com uma Rede de Escalada, uma Pista para caminhadas de 320m que atravessa uma Ponte em arco sobre um lago com chafariz e peixes ornamentais, mais dois outros lagos menores, cinco churrasqueiras, todas com frente para o Parque, que podem ser reservadas pelos sócios, para confraternização com seus familiares e amigos. O Parque foi festivamente inaugurado em 27/04/1997 e como o mesmo foi construído em homenagem ao Fundador, o Sr. ARNOLDO HAERTEL, estiveram presentes na inauguração, a Sra. Irmgart Haertel - esposa, e os filhos Guenther e Claus Haertel, Noras e Netos, bem como aproximadamente 60% dos Associados, com seus Familiares. Registra-se com orgulho, a ótima frequência dos associados diariamente no Guarani: restaurante, sauna, piscina e prática de esportes em todas as modalidades que o Clube oferece. E também por uma questão de justiça e reconhecimento, o dinamismo e dedicação de toda a Diretoria neste mandato 1990/1998, com destaque a Diretoria de Patrimônio e Construção, Eng. Lothar Hass e Eng. Nivio Tschoecke, e nos eventos Sociais, a total dedicação do Vice Presidente Sr. Adilson Beer, em especial nos Bailes de Inverno e nas Oktoberfests.
Receba nossos informativos por email